sábado, outubro 18, 2014

Porta Voz "Obrigação Alucinação" - review ao disco


Iniciado em 1996 o projecto Porta Voz, passando por duas maquetes e uma pausa (1998), eis que nos chega o segundo álbum da banda, "Obrigação Alucinação" (depois do primeiro disco "Não Vou Ser Assim" de 2013).

Orlando Cohen (ex-Censurados e Peste & Sida, na guitarra e voz) e Bruno Alves (ex-Revolta e Aldebaran,baixo e voz) são a base desta banda, que continua a erguer bem alto o mote de (sempre) cantar punk rock em português.

Ainda com Paulo Caldas (Paulão, ex-Gazua) nas gravações deste álbum, que como nos habituou, impõe uma segurança e força na bateria que se traduz em muitos pontos positivos.



Gravado entre Abril e Agosto deste ano, o disco traz algumas novidades bastante salutares, mas sempre dentro da linha definida pela própria banda (sem alterar ou comprometer a sonoridade dos Porta Voz, portanto).

O álbum abre com o tema título, num ritmo bem acelerado que nos cativa logo aos primeiros acordes. "É muito descontrolo num mundo sem razão... obrigação, alucinação", ouve-se pela voz de Bruno numa clara alusão ao estado actual do nosso país (e das pessoas que cá vivem). Provavelmente, a melhor faixa do disco.

«Mostra-me» é marcado pelo baixo, com uma guitarrada de Orlando logo de entrada. O refrão é forte numa toada grave, que já nos habituaram e há muitas partes instrumentais, que complementam muito bem.

De seguida, «Novo Desafio» traz um bom balanço, com novo paralelismo ao quotidiano. Som corrido, sem floreados (como se gosta). "Fartas-te de lutar por aquilo que queres mudar..."



«Billy» é uma faixa dedicada ao DJ Billy (autor deste blog) num ritmo ´rock-saltitante`, a fazer lembrar os temas dançantes dos Ramones. A letra e música foram da autoria de Orlando e presta homenagem num modo bem alegre e muito divertido... é para a festa (obrigado, Porta Voz).

«Um Sítio Onde Possas Ficar» contém uma temática de alerta e algo preocupante, sobre um futuro muito imediato, que assola muita gente.

Mais uma vez Orlando lança-se nas vocalizações e em "Nós Queremos" soa muito bem! Com um sentido country, mas sempre numa toada rock, há lugar para se ouvir piano (teclas), um tem muito bem disposto e intervencionista, que anima qualquer um.

«O Que Fazer» é uma faixa muito boa, não foi nada despropositada a escolha para o primeiro vídeo retirado deste disco. É ´Porta Voz chapado`, com a voz rouca de Bruno a dar um cunho muito especial. E claro, o ritmo é muito bom, excelente tema.

Depois, surge «Jam (instrumental)» que traz uma sintonia ligada ao ´rock português`, relembra a década de 1980 com uns apontamentos que por vezes faz lembrar uns Rádio Macau.

«Somos Humanos» é algo diferente, um tema mais positivo em termos de mensagem. A música contém pormenores vocais e solos de guitarra, mas sempre com a bateria bastante segura, a dar um toque de ´novidade` neste disco.

Outro tema algo diferente é «Eu Vou Vencer», com Orlando a reassumir a vocalização. Ouvem-se guitarras acústicas e harmónica, novamente com um sentido country. A mensagem é curiosa (sem ter nada a ver, mas em termos de letra, assemelha-se a "Se O Tempo Voltasse", um original dos brasileiros Detrito Federal, popularizado recentemente pelos Asteroides Trio). Ouve-se "não há guito para nada, nem sequer para comer...os meus amigos já casaram, viraram as costas ao rock´n`roll...mas eu não me rendo...eu vou vencer". Resultou muito bem.

No final surge «Malhão Malhão», um clássico tradicional português num ritmo rock com direito a guitarra portuguesa. Já algumas bandas o fizeram, a dar um toque de ´portugalidade`, tais como Censurados ("Alecrim"), Xutos & Pontapés ("A Minha Casinha") ou Peste & Sida ("Cantiga Da Rua"). Fica bem, mas penso que soará melhor ao vivo, num ambiente festivo e com o calor da actuação.



Parabéns para os Porta Voz, depois de um excelente primeiro disco, conseguiram trazer alguma frescura à sonoridade da banda, como disse, sem comprometer o estilo próprio.



A contracapa do álbum traz 37 anos de diferença, da escadaria onde os ingleses The Clash posaram para o seu primeiro disco (homónimo, de 1977). Outra homenagem neste disco, numa clara alusão a uma das maiores influências dos Porta Voz.

                                                                                             (CD - edição de autor)




O trio actualmente conta com novo baterista (Jorge Correia, nas fotos de divulgação) e vai apresentar ao vivo os temas do álbum em vários locais.

Já abaixo fica o primeiro vídeo, do tema "O Que Fazer", para ficarem com uma noção da sonoridade do disco...







2 comentários:

Billy disse...

***


Podem obter info actualizada dos Porta Voz, ou mesmo pedir o envio do CD, em...



https://www.facebook.com/porta.voz.752






***

Billy disse...

***********


24 Outubro (6ª feira) - Caixa Económica Operária (Graça - Lisboa)



PORTA VOZ (apresentação dos temas do novo álbum "Obrigação Alucinação")



+ DALAI LUME
+ CHAPA ZERO
+ DJ Billy





Abertura de portas e início da ´DJ session`: 21h30



início da primeira banda: 22h05



entrada: 5 ou 10 (com o CD dos Porta Voz)





***********