quinta-feira, março 01, 2018

Zorb (Dalai Lume) - entrevista


É já no próximo dia 3 de Março que se realiza a festa do 12º aniversário dos Dalai Lume.

O evento festivo decorre no Bar Popular em Alvalade (Lisboa) e contempla sonoridades variadas.

A banda lisboeta tem na bagagem quatro edições já lançadas, exactamente o split-CD com Allison Bentley (2007) o primeiro álbum em nome próprio "Para Manter A Chama Viva" (2009), «Sentido Proibido» (2013) e ainda o disco "Ao Vivo Na República Da Música" (2014).

O Billy News entrevistou o vocalista Zorb, sobre o passado, o percorrer destes doze anos e claro, sobre a festa! Vejamos o que ele respondeu...






Billy - 12 anos "a manter a chama viva". Lembras-te do primeiro ensaio? Com que ideia e espírito estavam naquela altura, que objectivos tinham e queriam atingir na altura?

Zorb - Lembro-me perfeitamente do primeiro ensaio. Foi no Estúdio Ulyssea em Alvalade, depois de eu ter conversado com o Oregos, o Cró e o Contacto no sentido de nos juntarmos para "darmos uns toques" e fazermos umas malhas apenas para auto-recreação. Veio também o Tuka que na altura era o guitarrista solo. O Sumol e o Ribas também eram presenças habituais nos nossos primeiros ensaios e ajudaram-nos bastante na composição dos nossos primeiros temas.







Billy - Há memórias muito boas de concertos vossos (alguns que tive oportunidade de acompanhar de perto) ao longo destes anos, de Norte a Sul do país. Recorda um que te tenha dado especial prazer.

Zorb - Houve muitos que me deram especial prazer, mas assim de repente posso destacar as nossas actuação nos concertos com os Dwarves e os Decreto 77 em Cascais e com Jello Biafra e Gazua em Corroios e também a presença no Festival Red Boys On Fire nos Açores. A nível emocional talvez tenham sido estes os mais marcantes.






Billy - Olhando para trás, a banda teve várias alterações na sua formação, (contabilizo umas oito saídas de membros), todas relevantes com certeza. Houve algum momento em que fizeram uma paragem significativa ou sempre conseguiram seguir em frente no minuto a seguir?

Zorb - Sempre tivemos para nós que não seria a saída de um elemento que nos faria desistir do projecto. Enquanto fizermos isto por puro prazer e acreditando que fazemos música genuína e coerente com a nossa forma de pensar e de estar na vida nunca iremos deixar de o fazer independentemente de ser com A, B ou C.







Billy - Musicalmente, a banda está muito coesa. Isso deve-se ao factor de já terem um reportório considerável com o público várias vezes a entoar os refrões, por outro lado à experiência acumulada como músicos, ou ambas os factores?

Zorb - Decididamente ambos os factores. Experiência de palco, a nossa experiência de vida e a maturidade que está nos trouxe têm feito com que a coesão se reflicta no trabalho da banda.





Billy - Falando do futuro mais imediato, já sei que há alguns temas novos, ainda que por "limar". Contam apresentar pelo menos um, no próximo dia 3 de Março, no Bar Popular em Lisboa?

Zorb - Pelo menos um, dos que nunca foram gravados em álbuns, será certamente tocado no dia 3. É garantido.







Billy - Por fim, fala-nos um pouco da ideia do evento, de juntar Freddy Locks à festa, num género musical diferente do vosso e claro, do espaço escolhido.

Zorb - Quanto ao espaço não existem qualquer tipo de dúvidas. Numa casa de grandes amigos que, ao mesmo tempo, é o melhor espaço de música ao vivo em Lisboa e onde já tivemos também actuações memoráveis. Em relação ao Freddy Locks não é normal acontecer um evento que junte reggae e punk-rock. Decidimos fazê-lo por ser, para além de nosso grande amigo, um grande músico com uma banda fantástica e que irá diversificar o ambiente sonoro e ao mesmo tempo valorizar enormemente uma noite que se quer de festa. Não fazer "mais do mesmo" foi o factor que nos levou a esta escolha. Os presentes, no dia 3, terão oportunidade de constatar e comprovar e que digo.





Podem acompanhar todas as novidades da banda e saber mais detalhes, acedendo aqui!



Para recordar, aqui fica um tema do último álbum, "A Cidade Mata" com imagens captadas ao vivo...




Sem comentários: