sexta-feira, novembro 23, 2007

Mata-Ratos “Novos Hinos...” – review


MATA-RATOS “Novos Hinos Para A Mocidade Portuguesa”

“Somos os Mata-Ratos, a festa vai começar...” é assim que começa o novo álbum da banda que começou a espalhar o caos em Portugal no final de 1981...

O tema “Quem Nós Somos“ serve mesmo para transmitir o (actual) perfil dos Mata-Ratos, que afinal mantém-se imutável ao fim de tantos anos...


Mesmo antes, no início do disco há ainda um animado interlúdio como ‘introdução’ ao disco (ou neste caso à língua portuguesa).

Este novo trabalho traz algumas novidades em termos sonoros.

Não que seja muito diferente do que nos acostumaram, mas notam-se alguns pormenores que fazem essa diferença, essencialmente em relação às guitarras (bem altas), nos convidados que participam no disco, à presença de teclas em alguns temas e até trombone, para além de outras vozes em pequenos textos (mas sempre sem comprometer a sonoridade ‘à Mata-Ratos’).

Como de costume, o espírito festivo mistura-se com a contestação e raiva, debitada por Miguel Newton e companhia...

“Odisseia Hospitalar” dá a dica «és do povo, só tens que aguentar...»

Logo de seguida, “Terror na A25” é uma crítica mordaz ao espírito dos nossos condutores vivido nas estradas... e qualquer uma pode ser a A25.

A toada mantém-se com “Carreira De Sucesso “, o estado actual do país, a profissionalização sem futuro e o sucesso a traficar, estão na mira..

O tema “Entrecosto Emocional“ conta com a presença vocal de Jorge Bruto (Capitão Fantasma e Bruto & The Cannibals) , num universo próximo dos Misfits, com o horror como pano de fundo (com histórias não tão irreais quanto isso).

“Traumatismo Ucraniano” são as vicissitudes de quem vem de fora, mas também das dificuldades que encontra...

Há ska balanceado com “Caixote Do Lixo“ (a tal presença dos teclados a ‘condimentar’ o ritmo saltitante), que resulta bem.

“Ponto De Não Retorno“ é um tema típico da sonoridade da banda dos velhos tempos, com ritmos speedados e cheios de balanço...

Em ” Os Pratos Da Balança“ surge novamente a voz de Jorge Bruto em complemento, desta vez num tom mais rock’n’roll (mesmo a propósito).

“Outra Rodada” é para mim o melhor tema do disco... o ritmo e padrão musical transmitem uma das melhores propostas dos Mata-Ratos nos últimos anos... o quotidiano, reflexão e introspecção são os sentimentos principais nesta música e ouve-se «se o mundo acabar e morrer ao meu redor... não tenho culpa». Muito bom.

“Inocente O Doente” é apenas uma curiosidade, está incluído no disco com uma nova roupagem,

Mais curioso (e sarcástico, bem ao estilo da banda) é o novo interlúdio que surge mesmo no final do álbum.

“Vai-te embora, deixa o pessoal tocar” dá o mote para “Uma Trilogia Portuguesa“ com uma alusão à sonoridade dos Toy Dolls com pronúncia portuguesa, mostra que o tradicional também pode ser divertido.

Este novo álbum traz boas canções, curiosidades diversas e ambiente festivo q.b. com 3 ou 4 temas que podem bem ser os futuros hinos da banda, faltando apenas comprovar-se exactamente isso ao vivo, para ter esse ‘carimbo’.

Os Mata-Ratos estão definitivamente de volta e apelam ao espírito festivo e ao convívio com este “Novos Hinos...”, um disco a ouvir, definitivamente.


CD Rastilho 2007 – ver mais info em “Comments” já abaixo...

2 comentários:

Billy disse...

*************************



MATA-RATOS

"Novos Hinos Para A Mocidade Portuguesa"

CD-digipack

Rastilho 2007

13 temas

REFª: 023CD2007

EAN 5609330109527


À venda em qualquer loja de discos!

Se não encontrares, envia um mail para...


rastilho@sapo.pt

...e pede as condições de envio.


*************************

Billy disse...

************



Mais info disponível em...

http://www.myspace.com/mataratos1982

http://www.mataratos.4t.com/

http://mataratosinfo.blogspot.com/



************